segunda-feira, 17 de setembro de 2012

INTRODUÇÃO


COMO CRIAR FRANGO PARA CORTE

INTRODUÇÃO

Hoje em dia podemos notar que é muito grande a eficiência na produção de frangos de corte em todo o país e cada vez mais temos conseguido explorar o máximo de potencial produtivo, proporcionado pelo desenvolvimento genético das linhagens atuais.
Entretanto, pequenas alterações no processo produtivo podem significar perdas nos resultados zootécnicos e conseqüentemente ocasionar perdas econômicas significativas ao produtor.
Devemos então estar atentos durante todas as fases de criação dos frangos até que este seja levado ao abate. Contudo atenção especial deverá ser dada a fase inicial, visto que, as duas primeiras semanas de vida, do frango de corte, são fundamentais para o bom desenvolvimento do lote e para assegurar os bons resultados zootécnicos e econômicos da criação.
Pensando nisso gostaríamos de chamar a atenção para alguns fatores que são fundamentais na criação e que muitas vezes são deixados de lado ocasionando grandes perdas de resultados.
Logo que chega do incubatório o pintinho tem como primeiro contato o aviário e o avicultor, se neste momento o animal não tiver uma qualidade no seu recebimento ou se as condições encontradas não forem adequadas, poderá ter afetado, negativamente, todo o seu desenvolvimento e conseqüentemente seus resultados zootécnicos e econômicos.
Portanto, todas as condições para assegurar o bom desempenho deverão ser, neste momento, cuidadosamente consideradas e, dentre essas condições podemos destacar como as mais importantes, os fatores relacionados à limpeza das instalações, sanidade, biossegurança, nutrição, fatores ambientais (como: temperatura, umidade e qualidade da cama ) e ainda o manejo inicial do lote.
É muito importante salientar que mesmo que se receba um pintinho da melhor qualidade não teremos resultados positivos se algum desses fatores não for considerado ou não estiver em conformidade com as necessidades dos animais.
Particularmente gostaria de chamar a atenção para dois desses fatores, que assim como os outros, são considerados da maior importância para o desenvolvimento do pintinho.
O primeiro se refere à alimentação das aves nas primeiras semanas de vida. É fundamental que logo no alojamento o pintinho já tenha contato com a água de boa qualidade, para garantir suas necessidades hídricas e evitar a desidratação, principalmente se a distância entre o incubatório e o galpão de alojamento for muito grande ou ainda se a temperatura ambiente estiver muito alta.
Além da água, a ração também deverá estar presente logo no primeiro momento e ser de excelente valor nutricional, para assegurar o máximo de desempenho e a maior uniformidade possível nas primeiras semanas de vida do pintinho. Dietas especiais para a fase pré-inicial, podem ser neste momento utilizadas e podem nos ajudar a conseguir o máximo desempenho esperado na primeira semana de vida do frango de corte.
O segundo fator a ser considerado está relacionado com a temperatura ambiente na chegada do pintinho e a qualidade do aquecimento que os animais recebem durante as primeiras semanas de vida. Devemos preparar as instalações anteriormente à chegada do lote de pintinhos para assegurar o aquecimento do ambiente até a temperatura ideal requerida pelos animais. Atenção especial deverá ser dada principalmente nos meses mais frios do ano, pois temos freqüentemente falhas de aquecimento com conseqüente deficiência na temperatura ideal à requerida pela ave. A deficiência na temperatura na maioria das vezes proporciona menor peso na primeira semana o que afeta a uniformidade do lote comprometendo significativamente todo o resultado zootécnico.
Temos que estar atentos ao uso dos aquecedores bem como à quantidade ideal de campânulas e à regulagem do aquecimento do ambiente, para não proporcionarmos um ambiente nem mais frio nem mais quente do que aquele requerido pelo pintinho nas primeiras semanas de vida, pois ambos os casos resultam em problemas de desempenho e qualidade do lote.
Em suma, importância maior deverá ser dada a todos os detalhes no preparo das instalações anteriormente a chegada do pintinho. E logo após a sua chegada, controlarmos todos os fatores que diretamente podem assegurar o bom, ou ocasionar o mal resultado zootécnico do lote, principalmente nas primeiras semanas de vida da ave.
Lembre-se, a fase inicial do frango de corte é seguramente onde devemos ter a maior atenção a todos detalhes, pois eles podem fazer a diferença entre o sucesso e o fracasso econômico na criação desta espécie animal.
O presente sistema de produção está direcionado para a criação de frangos de corte confinado em aviários não climatizados. O sistema foi desenvolvido visando sua utilização em aviários a partir de 50 metros até 100 metros de comprimento e 10 a 12 metros de largura, podendo alojar em torno de 12 frangos/m2. Todavia é possível sua utilização em aviários menores. A densidade de alojamento pode variar de acordo com a estação do ano, clima da região, condições de ambiência interna do aviário e idade do abate.

A produção de frangos deve respeitar os princípios de biosseguridade entre os quais a prática de alojamento “todos dentro todos fora” (all-in all-out), em que as instalações são ocupadas por aves do mesmo lote no momento do alojamento e desocupada totalmente no momento do abate. Essa prática permite a higienização do aviário e o respectivo vazio que deve antecipar a entrada do próximo lote. Nesse período se recomenda ainda a recuperação das instalações e dos equipamentos. Se as recomendações sugeridas forem aplicadas é possível em sistema misto de criação(macho + fêmeas), obter frangos aos 42 dias de idade com peso vivo de 2.400g, conversão alimentar de 1,82 e índice médio de eficiência produtiva de 300. Muitos conceitos definidos neste material podem ser utilizados em outros sistemas de produção de aves, mas apresentam peculiaridades que merecem e devem ser tratados separadamente.



Nenhum comentário:

Postar um comentário