segunda-feira, 17 de setembro de 2012

SAUDE E CUIDADOS




Vacinação

Programas de vacinação para frangos de corte não são utilizados com freqüência uma vez que o ciclo de vida de um lote é curto. No entanto, todas as aves devem ser vacinadas contra a doença de Marek no primeiro dia de vida. Cabe ao médico veterinário responsável pelo plantel, determinar quanto a necessidade de vacinar as aves contra outras enfermidades infecciosa que eventualmente estejam acometendo os plantéis circunvizinhos à criação. Para estabelecer o programa de vacinação deve ser considerando o desafio sanitário na região e estar de acordo com o as normas oficiais vigentes. Em frangos de corte, as principais viroses que podem ser controladas através de vacinação são: a doença de Marek, a doença de Gumboro, doença de Newcastle, bronquite infecciosa das aves e varíola aviária. O controle da coccidiose deve ser feito pela vacinação na primeira semana de vida das aves ou pela adição de quimioterápicos na ração durante o período de cria e recria.
    
A vacinação incorreta ou inadequada pode ser tão prejudicial quanto não vacinar. Para que seja realizada com sucesso é necessário planeja-la com antecedência, observar o prazo de validade das vacinas, maneja-las corretamente quanto a via de aplicação, diluição, conservação (conserva-las a 4ºC) e evitar a incidência direta do sol na vacina. Recomenda-se vacinar em horários com temperaturas amenas evitando-se estressar excessivamente as aves. Aves doentes não devem ser vacinadas. Todos os aviários devem ter uma ficha de controle com o histórico do lote em que constem informações sobre as vacinações.

Higienização
É imprescindível proceder a higienização do aviário e equipamentos entre um alojamento e outro. Após a retirada do lote, fazer limpeza completa do aviário adotando os seguintes procedimentos:
- retirar todos os utensílios utilizados no aviário;
- passar vassoura de fogo sobre a cama para reduzir o número de penas;
- remover a cama. A reutilização da cama só poderá ser feita se nenhum problema infeccioso tenha acometido o plantél anteriormente. Nesse caso recomenda-se que após passar vassoura de fogo, a cama seja enleirada e coberta com plástico ou lona por 07 dias, a uma umidade relativa de 37%, para que sofra fermentação. Jamais usa-la nos círculos de proteção ou pinteiros;
- lavar com água sob pressão todos os equipamentos do aviário;
- lavar paredes, teto, vigas e cortinas, com água sob pressão, (jato em movimentos de cima para baixo), deixar secar antes de fazer a desinfecção;
- redistribuir a cama no aviário;
- proceder a desinfecção do aviário. Os princípios ativos dos desinfetantes mais utilizados são: amônia quaternária, formol, cloro, iodo, cresol e fenol. É importante fazer rodízio periódico do princípio ativo do desinfetante utilizado;
- após a desinfecção, manter o aviário fechado, sem a presença de aves ou outros animais, em vazio sanitário, por pelo menos 10 dias até o alojamento dos frangos;
- lavar caixa d'água e tubulações;
- aparar a grama e limpar calçadas externas e os arredores do aviário ;
- os resíduos de produção, (aves mortas, estercos e embalagens) devem ser descartados adequadamente (trabalhados em compostagem, enterrados em fossas sépticas ou incinerados, de acordo com a contaminação do material a ser descartado).

Princípio ativo dos desinfetantes comerciais mais comuns e sua recomendação
Locais
Formol
Iodo
Amônia quaternária
Fenóis e Cresóis
Cloro
Caixas de água e encanamento
-
+
+
-
++
Piso
+
+
+
+
-
Paredes
+
+
+
+
-
Telhados
+
+
+
+
-
Telas
+
-
+
+
-
Equipam.
+
(+-)
+
(+-)
+
Pedilúvio
-
+
+
+
-
Mat. Orgânica
-
-
(+-)
+
-
++ muito recomendado; + recomendado; +- pouco recomendado; - não recomendado;
Recomendações de manejo sanitário
Recomendações:
- as aves devem ser criadas no sistema “todos dentro, todos fora” ou seja, alojar em um mesmo aviário, aves de igual procedência e idade, do alojamento ao abate;

- avaliar previamente o risco de contaminação para todo e qualquer objeto que precise ser introduzido na granja. Só faze-lo após rigorosa desinfecção
 - na porta de entrada do aviário deve ser colocado um recipiente com solução desinfetante para que as pessoa desinfetem os calçados (pedilúvios) antes de entrarem e, ao saírem do aviário. Onde houver trânsito de veículos, utilizar o rodolúvio;
 - observar diariamente a limpeza dos bebedouros bem como do aviário e suas imediações, fazendo o controle de moscas, cascudinhos e roedores;
 - incinerar ou enterrar as aves mortas em fossas sépticas ou utilizar compostagem; 
 - a cama nos círculos de proteção ou na área correspondente ao pinteiro deve ser nova. No restante do aviário, caso a cama seja reutilizada, faze-lo após enleiramento e repouso por pelo menos 7 dias, desde que o lote anterior não tenha sofrido doenças infecciosas.;
 - comunicar às autoridades sanitárias qualquer evento de alta mortalidade aguda no plantel, especialmente quando este não puder ser relacionado diretamente a falhas de manejo;
 - transportar os frangos somente com o respectivo Guia de Trânsito Animal (GTA) a ser preenchido por um médico veterinário credenciado;
 - manter uma ficha de acompanhamento técnico do lote com informações sobre a data de alojamento, o número de aves alojadas, a especificação das vacinas realizadas, medicamentos administrados e a mortalidade diária do lote.

Moscas
Os cuidados  com o controle de moscas devem ser constantes, pois a produção excessiva desses insetos pode causar, além de prejuízos para o próprio avicultor, pela transmissão de doenças, baixa produção dos operários pelo contínuo incômodo,  também, prejuízo e incômodo aos vizinhos, ocasionando  reclamações e demandas.
   
As moscas são insetos que se reproduzem rapidamente fazendo seis a oito posturas, de 100 a 120 ovos, durante seu curto período de vida (de 25 a 45 dias).  Após a postura, os ovos eclodem em menos de 24 horas e o desenvolvimento até o adulto ocorre em 8 a 12 dias.   Para nutrição das larvas, no caso da mosca doméstica, é necessário cerca de um grama de esterco. Existe um grande potencial de criação de moscas em uma cama de aviário exposta no ambiente sem os cuidados devidos. Se for permitido o nascimento de uma grande quantidade de moscas, após a tomada de medidas de controle mecânico, a população de adultos só será eliminada após o tempo de vida desses insetos, de 20 a 45 dias, ou com uso de produtos químicos.

Medidas de controle mecânico:
   
A criação de moscas pode ser evitada pela compostagem de cama e dos cascões de esterco úmido, além das carcaças. Amontoar a cama retirada do aviário e os cascões, até 1,50m de altura, mantendo o material coberto com lona plástica ou isolados com camada de palhada seca ou terra, durante 30 a 45 dias (quando estiver muito seca deve-se umedecer). Nesse período ocorrerá a fermentação com elevação da temperatura e destruição das larvas e os resíduos estarão prontos para serem usados como adubo.

Medidas de controle biológico:
   
Em avicultura de corte as próprias aves fazem o controle biológico das moscas dentro do galpão. O problema de criação de moscas ocorre quando a cama/cascões é retirada e amontoada sem os cuidados devidos. Nesse caso os predadores naturais (tesourinhas, ácaros) ajudam a destruir parte das larvas que se criam após o umedecimento dos resíduos pela chuva.

Medidas de controle químico:
   
No controle químico, o uso de produtos adulticidas (que matam moscas adultas) deve se limitar a aplicações nos locais onde a presença de moscas é totalmente indesejável, pois o efeito desse método de controle é temporário.  Os adulticidas não devem ser aplicados sobre a cama ou os cascões por causarem a morte de predadores, desequilibrando ainda mais  esse sistema. 
   
As aves mortas podem ser um foco de produção de moscas varejeiras. Para evitar esse problema, as carcaças também devem ser trabalhadas em compostagem ou em fossas; o adubo obtido pela compostagem das carcaças só deve ser utilizado em áreas de reflorestamento e de jardinagem.
   
O uso de fossa depende da profundidade do solo da propriedade  e  de licença do órgão de meio ambiente. Na fossa não se usam desinfetantes por prejudicarem o processo de decomposição por destruição das bactérias e fungos que atuam sobre as carcaças e, enquanto estiverem ativos os desinfetantes, o processo de decomposição ficará parado retardando a reutilização e em conseqüência novas fossas terão que ser abertas.  O controle dos maus odores pode ser feito com o uso de tampa de zinco galvanizado com canaleta de  isolamento,  contendo óleo queimado.


Cascudinhos e Roedores

Para reduzir a população de cascudinhos pela compostagem da cama dentro do galpão, entre os lotes,  é necessário abrir espaço para os círculos de proteção e  amontoar o restante da cama em pilhas ou em leiras de até 1,50m de altura no período da manutenção do círculo. Espalhar a cama compostada na véspera da retirada do círculo. Usar inseticida somente se a população de cascudinhos crescer a ponto de se visualizar os insetos na cama entre os comedouros (e não só debaixo deles) o que indica alta infestação. Aplicar o produto indicado pelo técnico, no intervalo entre lotes, como parte das ações de limpeza e desinfeção do galpão, aplicando o mesmo tão logo tenham sido retiradas as aves e suspensos os comedouros, evitando a dispersão dos insetos para outros galpões, tratando-se as áreas junto às paredes, colunas, depósito de ração, etc.
   
Os roedores devem ser controlados por meio de limpeza dos arredores dos galpões com a retirada de entulhos, manutenção da vegetação rasteira e pela organização constante do ambiente, em especial da área de manutenção da ração, além do uso de raticidas com acompanhamento técnico. 


FICHA PARA ACOMPANHAMENTO TÉCNICO DO LOTE
1-Data do alojamento:   
                                       
2-Nº. de aves:  

                          
3-Informações sobre as vacinas administradas
Data (Dia/Mês)
Via de administração
Vacina utilizada
N° aves vacinadas

















4-Medicamento administrados:
Data
                       
Identificação do aviário
                       
Idade das aves
                      
Principais sintomas
                      
Medicamento administrado (nome comercial e princípio ativo
                       
Via de administração
                      
Dose administrada
                       
Período de administração
                       

5-Mortalidade diária:
Semana
Domingo
Segunda
Terça
Quarta
Quinta
Sexta
Sábado
Total
























































                        
Outras Observações:_______________________________


Nenhum comentário:

Postar um comentário